Empreendedorismo jurídico: é possível?

O profissional jurídico que não procura se atualizar, pode ficar ultrapassado

É fato que o empreendedorismo conquistou o brasileiro, e a cada dia que passa mais e mais empresas são abertas no país. A tendência atingiu todas as esferas, até mesmo o meio jurídico.

Há uma crescente ampliação das áreas em que atuam os profissionais de direito. Isso acontece devido a necessidade de direcionamentos específicos, como o direito agrário, direito direito hospitalar, direito do turismo, entre outros.

Porém, mesmo com mais ramificações para atuar, o profissional jurídico está ficando ultrapassado. A advocacia tradicional, em que o advogado deve apenas se preocupar em ser excelente na área em que atua está fadada ao fracasso diante das novas exigências do mundo moderno.

Advocacia como negócio

Por negócio compreende-se não só os escritórios de advocacia, mas a visão que o próprio profissional deve ter de sua carreira. Como dito anteriormente, o mercado atual em que estamos inseridos exige que as profissões se reinventem. É preciso ter visão de futuro, criatividade e ser capaz de enxergar oportunidades. Características essas que podem ser associadas a empreendedores.

Porém, as faculdades de direito formam apenas advogados. E lidar com os desafios de ser empreender, tendo sido acostumado a leis e regulamentos pode ser um desafio. Mas esse fato deve-se também a cultura do país, que ainda associa estabilidade financeira ao serviço público.

Até para quem sai da faculdade com o intuito de abrir o próprio escritório enfrenta dificuldades. Justamente por não ter conhecimento sobre gestão de negócios ou gestão financeira, e muito menos noções para fazer um planejamento de carreira.

Como se tornar um empreendedor jurídico?

Não importa sua área de atuação, existem cursos que podem ajudar a despertar o comportamento empreendedor que existe em você. Mas ao contrário do que muitas pessoas fazem parecer, empreender não é uma tarefa fácil.

É algo que requer muita motivação e energia, ainda mais se você não tem um perfil nato. A melhor dica a ser dada é que se você, como profissional de direito, deseja fazer a diferença em sua carreira é imprescindível o desenvolvimento das habilidades empreendedoras. Mesmo que não crie um negócio próprio inovador, os impactos desses conhecimentos atingirão sua carreira em cheio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *